Art 12: Você sabe o que significa Medicina Preditiva?

Uma das características da Medicina Genômica (ou Pós-Projeto Genoma) é ser mais Preditiva. O que significa isso?

Que, identificando as nossas predisposições genéticas, podemos interferir precocemente para que as doenças não se manifestem. 

Por exemplo:

Metileno-Tetra-Hidrofolato-Redutase  ou MTHFR: se são identificadas mutações neste gene e em outros genes relacionados à metilação (como o MTR e MTRR), pode ser indicada a reposição do metilfolato, a forma ativa do ácido fólico. Isso pode ser muito útil para manter níveis mais baixos de homocisteína (reconhecida como um fator de risco para doenças cardiovasculares, trombose, acidentes vasculares cerebrais e Alzheimer). Além disso, o DNA bem “metilado” ajuda na prevenção do câncer, ansiedade, depressão, transtorno afetivo bipolar, entre muitas outras condições.

HLA-DQ2 e HLA-DQ8: estudam a tolerância ao glúten e risco de doenças auto-imunes relacionadas a ele: doença celíaca, dermatite herpetiforme e ataxia cerebelar. O indivíduo pode também apresentar sensibilidade ao glúten, porém sem a presença de anticorpos. Contudo, se ele for HLA DQ2 ou DQ8 +, deve, com certeza, evitar o glúten! 

Este é o valor “preditivo” dos testes genéticos: para evitar doenças no futuro!

E assim por diante! Vários estudos ainda estão em andamento, mas os testes genéticos podem ser armas importantes na “ciência de manter a saúde”, a medicina preventiva do século XXI.