Art 37: Fotoproteção oral

Hoje quero falar sobre a fotoproteção oral. O que é isso?

Quando nos expomos ao sol, o que nitidamente acontece? Uma inflamação (calor, tumor, rubor e dor). Geralmente utilizamos protetores solares tópicos. Mas será que uma substância anti-inflamatória e antioxidante administrada diariamente, via oral, poderia conferir proteção?

Sim! Na realidade, eu mesma utilizo há muitos anos um extrato/suplemento obtido de um pinheiro do sudoeste da França, o extrato de Pinus pinaster (patenteado com o nome de Pycnogenol®), enriquecido com procianidinas oligoméricas, que são componentes bioativos da família dos flavonoides, com reconhecida atividade anti-inflamatória e antioxidante.

Interessante que comecei a usá-lo para outro fim: para fortalecer o sistema imune. Depois de um tempo, quando ia à praia, passei a notar que não tinha mais de forma intensa aquela vermelhidão característica da exposição ao sol. Passados alguns anos, de fato, este extrato passou a ser indicado – inclusive por dermatologistas – como fotoprotetor oral para combater o fotoenvelhecimento (o envelhecimento causado pela luz).

Hoje é um extrato bastante disponível, indicado principalmente para problemas circulatórios (varizes) e associado a poucos efeitos colaterais. Estes podem ocorrer geralmente se o extrato for associado a outras substâncias com efeito anticoagulante, antitrombogênico e/ou antiagregante plaquetário, aumentando o risco de hematomas e sangramentos (como óleo de peixe, óleo de semente de linhaça, ginkgo biloba, vitamina E, aspirina, entre outros). Naturalmente, seu uso deve ser indicado por profissional especializado.