Art 68: Como aumentar a dopamina?

A dopamina é conhecida como a molécula da motivação.

Da família das “catecolaminas”, como a adrenalina e noradrenalina, é um neurotransmissor relacionado ao humor e ao prazer, formado a partir do aminoácido “tirosina”.

Ela dá a vontade e o foco necessários para se realizar as coisas e para o aprendizado e está envolvida com o sistema de recompensa do cérebro. Por isso ela é conhecida como o transmissor da recompensa. É importante também para a coordenação motora.

Pessoas com dopamina baixa não tem entusiasmo. Sentem-se desmotivadas, sem garra e têm dificuldade em lidar com o estresse. Muitas vezes estas pessoas se isolam e possuem pensamentos e comportamentos auto-destrutivos. Deficiência severa de dopamina leva a tremores e lentidão de movimento, podendo evoluir para doença de Parkinson.

Alguns sinais/sintomas de deficiência de dopamina:
– falta de motivação e entusiasmo
– dificuldade em acordar pela manhã
– estado deprimido ou apático
– baixo desejo sexual
– pés e mãos frios
– cansaço, independente de ter dormido bem
– falta de concentração e foco
– dificuldade em terminar projetos e tarefas
– síndrome das pernas inquietas
– vontade de comer açúcar/carboidratos
– alterações de movimento e tremores parkinsonianos

Você sabe o que pode contribuir para a falta de dopamina?
– fadiga crônica
– deficiência de vitamina B6, assim como de magnésio, zinco, ferro, vitamina C, vitamina D ou vitamina B3 (niacina)
– deficiência dos aminoácidos L-tirosina e DL-fenilalanina
– baixa acidez estomacal
– intestino permeável (leaky gut)
– hipoglicemia
– exposição excessiva ao chumbo, arsênico e cádmio

Os melhores alimentos, ricos em nutrientes (como tirosina e vitamina B6) que ajudam a aumentar seus níveis de dopamina:
– café orgânico
– chá verde orgânico
– cacau ou chocolate amargo
– sementes (castanhas, nozes, amêndoas, amendoim)
– leite e derivados
– ovos, peixes e carnes
– abacate
– ervilhas e feijão
– gérmen de trigo
– centeio, cevada e aveia
– beterraba
– maçã e banana
– vegetais folhosos

Mas você pode também tomar “outras providências” para melhorar sua dopamina:
– sono de boa qualidade
– dieta anti-inflamatória
– exercícios regulares
– melhor adaptação ao estresse (Rhodiola e Cordyceps podem ser usados como “adaptógenos”)
– melhora da saúde do seu microbioma intestinal

Evite vícios!!! Eles depletam a dopamina a longo prazo.

E mais!

Aumente a sua dopamina!
Estimule sua criatividade: os níveis de dopamina no cérebro aumentam quando criamos. Estimule sua criatividade com uma atividade interessante, como a pintura, o desenho, a escrita, a escultura, a poesia, a música ou a dança. Quando estamos no modo criativo, nos tornamos “hiperfocados” e produzimos mais dopamina. Tenha um hobby ou atividade em que você realmente possa criar!

Aumente a sua dopamina!
Organize suas tarefas diárias: nossos níveis de dopamina sobem quando conseguimos organizar nossas tarefas no dia a dia. A conclusão das obrigações e dos trabalhos diários traz uma sensação de recompensa para o cérebro e, consequentemente, nos deixa mais satisfeitos e equilibrados. Para manter uma rotina organizada, faça listas de tarefas que possam manter o seu foco e a sua motivação. Anotar todas as atividades que precisam ser cumpridas ajuda a não procrastinar, o que eleva a sensação de recompensa ao final do dia.

Aumente sua dopamina!
Escute músicas: as músicas nos fazem mais felizes e tornam a vida diária mais agradável e produtiva.

Aumente sua dopamina!
Medite: a prática da meditação traz diversos benefícios. Ela ajuda a evitar os pensamentos compulsivos e promove desenvolvimento espiritual. A meditação e a atenção plena são essenciais para uma mente saudável e contribui para o bom nível de neurotransmissores, como a dopamina.

Aumente sua dopamina!
Use suplementos: embora existam ótimas maneiras de aumentar os níveis de dopamina, às vezes é importante buscar suplementos naturais. A tirosina, por exemplo, é um aminoácido precursor da dopamina que pode ser suplementado. Busque ajuda de profissional especializado.